Tempo médio de recolocação profissional: 6 dicas para reduzir a espera

O tempo de espera para conseguir um emprego depende de diversos fatores, porém existem atividades que podem ser realizadas para se destacar dentro do mercado

 

O desemprego é um problema atual para a população brasileira. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil possui 13,1 milhões de pessoas desempregadas. Essa soma corresponde à uma pesquisa realizada entre os meses de novembro de 2018 a janeiro de 2019. O tempo médio de recolocação profissional é de 14 meses, segundo o estudo mais recente do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito).


Pack: Engenharia e Gestão em melhoria contínua

Temos um pacote sobre Engenharia e Gestão gratuito para você! Nele, disponibilizamos materiais como: ebook de Desperdícios em Back Office, Modelo de redução de desperdícios, Excel, e muito mais! Deixe seu e-mail e receba em instantes


O resultado da pesquisa do SPC, de 2018, indica um aumento de 2 meses em relação à pesquisa anterior, realizada em 2016. Segundo SPC, 95% dos profissionais com dificuldade de recolocação pertencem às classes econômicas C, D e E. 59% são mulheres e 58% dos desempregados possuem filhos. A principal justificativa de quem afirma que aceitaria ganhar menos do que recebia é a necessidade de pagar as despesas e prover o sustento da família.

Esses fatos sobre o desemprego no Brasil não são muito animadores. Porém, existem dicas e estratégias que podem ser realizadas para conseguir se destacar na competição do mercado, mesmo em um cenário de crise. 

6 dicas para reduzir seu tempo médio de recolocação profissional

1) Manter a calma

Manter a calma é a primeira coisa a ser feita para quem está desempregado, pode parecer uma dica infundada, porém, segundo pesquisa do SPC, publicada em 2018, 56% dos brasileiros que perderam emprego afirmam estar com baixa autoestima e 45% afirmam sentir-se envergonhados perante a família ou amigos.

Durante, o processo de recolocação do mercado de trabalho, precisamos estar com a cabeça no lugar, há comprovações científicas de que o estresse afeta nossa imunidade e, como consequência, passamos a contrair doenças com mais frequência.

Portanto, dedicar um tempo para sua saúde mental é importante. Uma dica é fazer acompanhamento com psicólogo, terapias podem ser feitas até de formas gratuitas, no sistema de saúde pública ou em universidades que possuem cursos de psicologia. Lembrando que também é importante dedicar um tempo para o lazer.

Saiba mais sobre ócio produtivo com a leitura deste artigo.

Tais Targa possui mestrado em Psicologia Organizacional e, atualmente, trabalha com realocações no mercado de trabalho. Ela afirma que o desemprego é um período difícil e é preciso buscar elevar a auto-estima. “Lembre-se de seu valor! Você não é desempregado, mas sim, um engenheiro, ou se trabalha com marketing, essa é a sua profissão”. Afirma a psicologa em um vídeo de seu canal.

Foram entrevistados pessoalmente 600 brasileiros desempregados acima de 18 anos, de ambos os gêneros e de todas as classes sociais nas 27 capitais.

2) O que fazer enquanto estiver desempregado: preencha os buracos do currículo

Aproveite o tempo para aperfeiçoar seu currículo. Para isso, pode-se participar de palestras, congressos e seminários em sua área. Dessa forma, os conteúdos sobre sua área serão estudados, atualizados ou revisados.

Outra dica é realizar cursos complementares, que podem ser feitos a distância. A vantagem do EAD (curso a distância) é a possibilidade de estipular seu próprio horário e poder realizá-lo em qualquer local.

A  CAE Treinamentos oferece cursos complementares que podem ser aplicados em diversas áreas, como o curso de Excel Specialist, que explica tudo sobre uma das plataformas mais utilizadas no mercado de trabalho. Uma certificação a mais pode ser um diferencial no currículo.

O importante é estar sempre em movimento, demonstrando busca por conhecimento e aprendizado.

Sabe como se manter preparado profissionalmente para se destacar na busca de um trabalho? Confira algumas dicas abaixo!

Clique no botão abaixo para se inscrever no nosso canal!!!

Outra dica, para preencher as lacunas de seu currículo, é trabalhar um tempo como autônomo, se sua profissão e contexto pessoal permitirem.

Fonte: https://www.guiadacarreira.com.br/carreira/como-se-recolocar-no-mercado-de-trabalho/

3) Networking virtual

Aperfeiçoar seu currículo é ótimo, mas também é preciso divulgá-lo. É preciso que os outros saibam sobre seus progressos e também tenham acesso ao seu currículo.

Uma maneira de obter visibilidade é criando um Linkedin. Essa é uma rede de relacionamentos profissionais onde é possível preencher um tipo de currículo na plataforma e disponibilizá-lo, para que os outros o vejam. No site, deve-se seguir perfis de locais nos quais você desejaria trabalhar e profissionais de sua área. Assim, você pode interagir melhor com o seu nicho e chamar a atenção de recrutadores.

Entretanto, a sua atenção no mundo virtual não pode estar focada somente no Linkedin. Atualmente, grande parte das contratações são realizadas através da internet. Empresas pequenas e grandes têm feito anúncios através de redes sociais como o Facebook, o Instagram e o Twitter.

Portanto, é importante acompanhar empresas de sua área em diversas redes sociais Também é recomendável participar de grupos de vagas em sua área.

É muito importante que o usuário interaja com as publicações sobre vagas de emprego em redes sociais. Pois, a maioria dessas plataformas utiliza algoritmos que selecionam a informação que consideram pertinente para o internauta. Ou seja, quanto mais você “curtir”, “compartilhar” e comentar em publicações sobre vagas, mais elas irão aparecer para o seu perfil.

4) Networking presencial

Uma busca completa por emprego se realiza no mundo online e offline, investindo em várias frentes pode-se aumentar as chances de conquista.

Comunique à sua rede de contatos que você está em um período de realocação e informe quais áreas são de seu interesse.

Caso não tenha uma rede de contatos mais estruturada, pode-se conhecer outros profissionais de seu nicho em palestras e eventos da área.  Neste momento de recolocação profissional, é preciso deixar a vergonha de lado e tentar se comunicar com pessoas envolvidas em sua área.

Veja mais em “Dicas de como fazer networking e aumentar a rede de contatos”.

5) Planejar a carreira: determine seus objetivos e metas

O planejamento profissional é referente a saber escolher, entre as opções, quais atividades serão úteis para destacar o seu currículo. Ou seja, saber quais cursos, congressos e palestras que são relevantes. Para isso, deve-se pensar sob a ótica do recrutador.

Definir objetivos e metas é a base para um bom planejamento de sucesso. Entenda com nosso vídeo abaixo a melhor forma para esse processo e defina seus objetivos e metas com eficácia.

Procure saber quais são os requisitos para as vagas de interesse. Por exemplo, determinada empresa afirma que para o preenchimento de determinada vaga é preciso saber inglês e ter domínio de pacote Adobe. Portanto, o profissional pode direcionar seus esforços para conseguir certificações que supram essas demandas. Assim, conduzindo seus esforços de maneira planejada e estratégica.

Saiba mais sobre como definir objetivos e metas em sua carreira com a leitura deste artigo.

6) Especialização e atualização: novos conhecimentos

No mundo tecnológico em que vivemos, a maioria das áreas profissionais sofrem transformações constantes. Não há como se destacar no mercado de trabalho se o profissional não acompanhar as evoluções de sua área. Por isso, é importante estar sempre atualizado em relação às práticas, equipamentos e tecnologias.

Outro fator que pode reduzir o tempo médio de recolocação profissional é o conhecimento especializado. Ao conhecer uma técnica e estudar sobre ela, o profissional pode se destacar por possuir uma habilidade que nem todos possuem.

O treinamento em Seis Sigma pode ser um diferencial em diversas áreas! A Seis Sigma é uma metodologia que gera lucro para muitas empresas, pois, auxilia a otimização de processos, gerando maiores resultados. Saiba mais sobre esse método com a leitura de nossos artigos sobre o tema e confira nossos cursos, como o treinamento GRATUITO em White Belt Seis Sigma oferecido pela CAE Treinamentos.

Esperamos que nossas dicas sobre como reduzir o tempo médio de recolocação profissional tenham sido úteis para você. Quer continuar acompanhando conteúdos interessantes como esse? Acompanhe nosso blog, siga-nos no FacebookLinkedin ou assine o nosso canal no Youtube e não perca nenhuma novidade!

 

Autor

Redatora do blog da empresa CAE Treinamentos. Estudante de Jornalismo na Universidade Estadual Paulista (UNESP). Já foi estagiaria de Comunicação do Projeto TAMAR, pesquisadora pela FAPESP, coordenadora de grupo de estudos e repórter textual do Projeto Impacto Ambiental e da Jornal Júnior.

Escreva um Comentário