Gráfico de tendência: uma ferramenta para evitar prejuízos e prever novos caminhos

Fazer parte da equipe de gestão de uma empresa é estar constantemente em busca de novas ferramentas para melhorar e ajudar na tomada de decisões. Através delas, ganha-se a certeza de maior assertividade e reduz-se o risco de sofrer com prejuízos. Por esse e muitos outros motivos, o gráfico de tendência tem sido cada vez mais aplicado, nas mais diferentes empresas.

Por meio dele pode-se acompanhar a linha econômica da empresa, sua produção, prazos e muitos outros fatores. Quando realizado no tempo certo, é uma técnica hábil e efetiva para a prevenção e organização financeira.

Com base nisso, explicaremos aqui tudo sobre o gráfico de tendência e como ele pode te ajudar a ter uma gestão ainda mais eficaz e produtiva. Continue lendo e saiba mais sobre essa técnica!

 O que é o gráfico de tendência

Trata-se de uma espécie de indicador que mostra como determinado padrão se comporta ao longo do tempo. Através dele, pode-se ter uma visão mais geral e prever acontecimentos como queda de vendas e falhas operacionais.

Também chamado de gráfico de séries temporais, sua utilidade é exatamente essa. Proporcionar uma análise de como algum indicador se comporta com o passar dos dias, semanas, meses ou anos. 

Comumente, é muito utilizado dentro das empresas para realizar uma programação da produção e o planejamento orçamentário de cada mês.

Através dele, pode-se prever aumento ou diminuição das vendas, bem como fazer um estudo de como e o porquê isso ocorreu. 

Desse modo, todos os fatores desejados podem ser incluídos no gráfico, assim, a empresa dificilmente sofrerá com imprevistos e saberá se planejar caso algo na produção esteja inadequado.

Como montar um gráfico de tendência

Sabendo como o gráfico de tendência funciona e pode ser benéfico a sua organização, é um erro não incluí-lo entre as ferramentas de gestão da qualidade

No entanto, para que sua efetividade seja comprovada é necessário que seja montado corretamente. Sendo assim, acompanhe como trazer essa técnica para a prática.

Passo 1. Determine o intervalo de tempo a ser utilizado

Como citamos, a principal utilidade do gráfico de tendência é mostrar como um determinado indicador se comporta ao longo do tempo. No entanto, é preciso definir qual será o período a ser examinado.

A forma mais comum e utilizada para planejamentos em empresas é anual, pois pode-se organizar a programação financeira e da produção. No entanto, um indicativo mensal também é bacana para organizar demandas entre os setores. O semanal, por sua vez, pode ser útil para definir os dias de atividades mais intensas.

Sendo assim, entenda qual é o seu objetivo com a ferramenta e defina o prazo correto para a ilustração dos intervalos no gráfico.

Passo 2. Determine o indicativo a ser visualizado

Esse é o momento de definir qual o processo a ser analisado do seu gráfico. Escolha, em primeiro lugar, aqueles fatores mais importantes para a tomada de decisão e com acompanhamento indispensável.

Tome cuidado ao definir um fator que acontecerá ao longo do tempo determinado. Por exemplo, de nada adianta escolher o período de um ano para analisar uma peça que só terá demanda até abril.

Nas primeiras montagens pode ser difícil encaixar as informações, mas com o passar do tempo a demanda será tão grande que você utilizará vários gráficos de tendência simultaneamente.

Como um gráfico de tendência deve ser analisado?

gráfico de tendência

Com o gráfico de tendência pronto chegou o momento de colher os seus resultados. Para isso, usam-se diferentes técnicas com base na montagem de intervalos de tempo.

Cada gestor tem a liberdade de criar e definir as suas próprias técnicas para a coleta de resultados. No entanto, alguns fatores, quando aparecem possuem resultados universais e devem ser considerados. São eles:

  • Um ponto muito afastado do outro: queda ou subida brusca, é necessário prestar atenção nos fatores externos que levaram a isso;
  • Dois pontos ou mais juntos: período linear, sem grandes mudanças. Ideal para implementação de novos processos e projetos;
  • Variação de pequena diferença entre um e outro ponto regularmente: um fator específico está mudando constantemente e causando problemas. É necessário entender qual é e solucionar esse problema.

Ao constatar essas informações, lembre-se que elas podem indicar muitos aspectos, desde estoque e matéria-prima até erros da produção. 

Sendo assim, pense no seu gráfico de maneira geral, considerando todos os setores que podem sofrer com prejuízos se medidas não forem adotadas para solucionar os problemas que ele revelou.

Exemplo de gráfico de tendência

Mesmo sabendo o que é gráfico de tendência e sua utilidade dentro da empresa, você pode estar um pouco confuso sobre como ele pode ajudar na solução de problemas. Sendo assim, acompanhe um exemplo prático.

Imagine uma loja de sorvetes que resolveu criar um gráfico de suas vendas anuais para definir o seu planejamento financeiro. Nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro constatou-se uma subida bem alta na comercialização.

As vendas foram sendo reduzida aos longos dos meses. No mês de junho, alcançou seu período mais baixo. A partir daí, aumentou as vendas novamente de maneira gradual até chegar quase ao topo no mês de novembro.

Com esses resultados visualizados no gráfico, a loja pode perceber que suas vendas são maiores no verão, por conta do calor e das férias escolares. No entanto, a partir de março terá uma grande queda, para a qual deverá estar preparada.

Desse modo, o orçamento será planejado contando com essas oscilações nas vendas de sorvetes. Assim, o comércio não sofrerá com a queda e se manterá firme até a próxima temporada.

Sabendo de tudo isso sobre o gráfico de tendência, com toda a certeza você já está preparado para trazer essa ferramenta para a sua empresa. Ela será um divisor de águas na sua gestão e te ajudará a conquistar resultados ainda melhores.

E para saber mais sobre assuntos relacionados ao tema, conheça nosso blog e nosso canal no YouTube! Lá, mantemos você sempre atualizado de tudo que é tendência no mercado, aumentando cada vez mais a sua qualificação!

Autor

Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista - UNESP - com as certificações Green Belt - 6 Sigma, Aerodinâmica aplicada e Python no currículo, hoje faz parte do time da CAE Treinamentos, ministrando cursos e realizando consultorias na área.