9 indicadores financeiros + importância dos KPIs nos negócios

Qualquer negócio que deseje se destacar no mercado de trabalho precisa inserir indicadores financeiros no seu gerenciamento.

Esses dados são capazes de apresentar o estado de viabilidade em que a organização se encontra, ou seja, são como um termômetro para a saúde da empresa.

Quando os indicadores financeiros são organizados de maneira clara e precisa, elimina-se dúvidas e tempo perdido com relatórios burocráticos e extensos.

Dentro da atualidade, esses dados precisam ser catalogados de uma forma que possibilite uma análise rápida e eficiente.  

Com esses indicadores também pode-se tomar decisões em relação ao futuro da empresa e planejar investimentos.

Somente com uma estratégia de gestão organizada é possível ter melhorias contínuas e evolução em seu negócio.

Empresas que adotam uma gestão financeira enxuta, baseada nos indicadores corretos para o contexto do negócio, estão em vantagem competitiva no mercado. Pois possuem uma ferramenta que facilita a tomada de decisões.

Entenda o que são indicadores financeiros, a importância desses KPIs e quais são os principais indicadores de desempenho financeiro.

O que são indicadores financeiros?

Os indicadores financeiros são dados coletados dos resultados das atividades da empresa que orientam a tomada de decisão do negócio.

Além disso, os KPIs financeiros também auxiliam na análise interna, ajudando a melhorar a performance das atividades.

Caso você tenha interesse em economizar, leia o artigo Dicas para reduzir custos de uma empresa: 8 ideias que fazem a diferença.

Importância dos indicadores de desempenho financeiro

Uma pesquisa do Sebrae apontou que o principal motivo para o fechamento das empresas é a falta de capital ou lucro.

Por isso, 24.4% das empresas fecham com menos de dois anos de existência. A porcentagem aumenta para 50% em negócios com até quatro anos.

Dessa forma, acompanhar os indicadores financeiros é uma forma de evitar esse fim precoce, pois eles permitem acompanhar a evolução do negócio e ver onde é necessário melhorar.

É importante fazer uma análise, no mínimo, mensal com relatórios organizados para que fique mais fácil analisar e fazer um comparativo fiel.

Com isso, a empresa pode se antecipar e resolver problemas antes que eles se tornem muito grandes.

Leia também: Ferramentas do Excel: 9 recursos úteis para aprender.

Quais são os principais indicadores financeiros de uma empresa?

kpis-financeiros

Como visto, os indicadores financeiros são determinantes para a sobrevivência e perspectiva de qualquer organização. Agora, veremos quais são eles e como calculá-los.

1. Lucro Bruto

Explicaremos os conceitos de custos variáveis e receita para que se possa entender o conceito de lucro bruto que é um dos indicadores financeiros.

Os custos variáveis são aqueles gastos que variam de acordo com a quantidade da produção. É o preço do material que é utilizado para obter o produto.

Por exemplo, se temos uma empresa que fabrica sorvete, para produzir um pote se gasta uma caixa de leite que custa R$ 3.

Portanto, se produzirmos 10 potes de sorvete gastaremos R$ 30 em leite. Esse custo é variável de acordo com a quantidade da produção.

O termo receita se refere a quantidade de vendas dos produtos e os preços deles, é o dinheiro que se recebe nas vendas. Em forma matemática:

Receita Total = Preço x Quantidade.

Agora, podemos calcular o lucro bruto que a empresa terá abatendo os custos gastos com a produção.

Lucro Bruto = Receita Total – Custos Variáveis.

2. Lucro líquido

Agora, para calcular outro dos indicadores financeiros, o lucro líquido, precisamos compreender os custos fixos e o custo total.

Os custos fixos não dependem da quantidade produzida. Eles são relacionados às despesas como:

  • Impostos, tributação e encargos;
  • Aluguel ou manutenção da sede;
  • Telefone, água, luz, Internet etc.;
  • Despesas com salário dos funcionários.

O cálculo do custo total é simples, é a soma das duas formas de custos explicadas anteriormente.

Custo Total = Custos Fixos + Custos Variáveis.

Portanto, para determinar o lucro líquido, basta considerar todas as formas de custos envolvidas.

Lucro Líquido = Receita – Custo Total.

3. Margem de lucro bruta

Porém, informar somente o lucro em reais de maneira nominal, não é suficiente para se ter uma dimensão do contexto atual da empresa.

O valor em percentual dos indicadores financeiros é capaz de fornecer uma visão maior sobre a capacidade do negócio.

A margem bruta é um importante indicador para uma empresa. Ela mostra quanto sua empresa ganha ao vender um produto ou serviço depois de descontar as despesas para produzi-lo e vendê-lo.

Para calculá-la, basta utilizar os conceitos explicados acima e realizar a fórmula:

Margem de lucro bruto = lucro bruto / receita x 100.

4. Margem de lucro líquida

Com esse indicador financeiro, você poderá identificar qual realmente é o retorno financeiro da venda de cada produto de sua organização.

A margem líquida nada mais é do que um valor percentual que considera os custos totais, assim como foi considerado para calcular o lucro líquido.

A margem líquida mostra qual é o lucro líquido para cada venda da empresa. Quanto maior esse valor, maior é o recebimento financeiro por cada produto.

Pode ser calculada da seguinte forma:

Margem Líquida = (Lucro Líquido / Receita) x 100.

5. Lucratividade

A lucratividade considera todos os produtos e serviços oferecidos por uma empresa. É um valor percentual que engloba o recebimento de todas as vendas, mesmo que de produtos com valores diferentes.

Uma empresa pode ter preços de venda variados para diversos tipos de produtos ou serviços que ela ofereça. Esses também possuem valores diferentes de custos para produzi-los.

A lucratividade é medida em valor percentual que oferece um resultado global. Ela considera todos os produtos e todos os custos totais.

Esse indicador financeiro é capaz de demonstrar a eficiência operacional de uma organização. A lucratividade mostra o ganho que a empresa consegue gerar sobre o trabalho que desenvolve.

Para calculá-la, é necessário realizar a somatória do lucro líquido de todos os produtos e serviços oferecidos. Assim como, a receita total da empresa.

Lucratividade = (Lucro Líquido de todos os produtos e serviços / Receita Total ) x 100.

Fatores que afetam a lucratividade de uma empresa, segundo o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) são:

  1. Queda nas vendas;
  2. Aumento dos prazos de vendas;
  3. Aumento das despesas financeiras;
  4. Diminuição da margem de contribuição;
  5. Estoque com giro lento;
  6. Gastos fixos aumentando constantemente;
  7. Crescentes perdas com inadimplência;
  8. Necessidade constante de trabalhar com descontos de cheques e duplicatas.

6. ROI

O conceito de receita, como visto acima, será necessário para o cálculo do ROI.

Essa sigla se refere ao Retorno sobre o Investimento. Esse indicador demonstra o quanto de dinheiro a organização tem capacidade de gerar, considerando o capital que foi investido nela.

Cálculo do ROI: receita total – investimento inicial/ investimento inicial x 100

Porém, deve-se ter em mente o período de tempo que a empresa selecionou para calcular a receita.

Se a empresa tem uma receita de R$ 5 mil em um mês, isso pode ser um indicador positivo.

Agora, se o lucro de R$ 5 mil é referente a um ano, o resultado pode indicar que sua empresa não está sendo capaz de gerar lucro suficiente.

Portanto, antes de realizar o cálculo é preciso considerar a periodicidade da receita.  

7. Payback

Esse é um dos indicadores financeiros utilizados para avaliar a planejar quais investimentos serão feitos na empresa.

Suponha que a sede de uma empresa está gastando muito com a conta de luz. Uma opção é a instalação de placas de energia solar, mas como saberemos se o investimento valerá a pena?

É preciso avaliar em quanto tempo se terá retorno financeiro em relação ao investimento realizado.

Payback simples

É preciso calcular quanto se gasta com a conta de luz. Considerando que sejam R$ 100 mensais e que a instalação de um painel solar custaria R$ 1000, pode-se perceber que o investimento se pagará em 10 meses.

Payback descontado

O payback descontado nada mais é do que um cálculo que considera os custos, como os impostos e a inflação. É preciso analisar os custos de acordo com o contexto de cada investimento.

Se a inflação da energia solar sobe 10% a cada ano, então a economia ao se instalar um painel solar é ainda 10% maior do que o planejado anteriormente.

No payback descontado é essencial prever o valor futuro em relação ao valor presente, considerando aspectos como a inflação.

Existem metodologias capazes de aumentar significativamente o retorno financeiro de uma empresa.

O investimento em uma equipe que execute o método Seis Sigma para otimizar os processos da empresa apresenta um baixo tempo de payback para a instituição.

Ou seja, trata-se de um investimento que logo gerará lucros suficientes para ser compensado.

Escolher a metodologia correta é um fator primordial. Você precisa ter conhecimento sobre qual metodologia será útil caso a caso.

Dentre as inúmeras possibilidades, listamos aqui como diferenciá-las e escolher a melhor.

8. Ticket médio

O ticket médio possibilita a análise de quanto uma empresa fatura por venda, independente da diferença de preço entre os produtos.

Então, seleciona-se o valor que a organização faturou em determinado período e divide-se pelo número de vendas do mesmo período.  

Esse indicador financeiro é relevante para se analisar promoções e descontos dados.

Pode-se avaliar se compensou realizar determinada promoção ou não, comparando o ticket médio com os meses anteriores.

9. Endividamento

A principal questão envolvendo o endividamento é a necessidade de controlá-lo e mensurá-lo de forma efetiva.

Nem sempre o endividamento é algo totalmente negativo para a empresa. Ele pode ter sido planejado e realizado por causa de algum investimento.

Esses investimentos podem ser relacionados a obtenção de equipamentos, de novas tecnologias ou capacitação dos funcionários. Posteriormente, pode ser que esses gerem lucro e desenvolvimento para a corporação.

A partir do momento em que a empresa adquire dívidas, ela precisa monitorar e analisar seu índice de endividamento. Esse índice pode ser calculado.

Para realizar o cálculo do índice de endividamento é preciso entender o conceito de total de passivos e total de ativos.

Os passivos têm relação com as dívidas ou o que deve ser pago, é o valor que deve ser pago aos funcionários, empréstimos e impostos.

Já os ativos, são referentes aos bens, são a soma dos saldos disponíveis em caixa e nos bancos, as contas a receber e os estoques.

Assim, pode-se calcular:

Índice de endividamento = Total de passivos/ Total de ativos x 100.

Dessa forma, é possível acompanhar esse índice e garantir que as contas da empresa estejam sob controle no curto, médio e longo prazo.

Como aprender ainda mais sobre indicadores financeiros?

Logo, com os conhecimentos disponibilizados sobre os indicadores financeiros, percebe-se que qualquer empreendedor precisa estar familiarizado com eles.

Assim, ele poderá conduzir sua organização e alcançar os melhores resultados.

Após conhecermos todos esses indicadores financeiros de uma empresa, fica claro que independentemente do porte dos negócios ou do seu mercado, é essencial para qualquer empreendedor conhecê-los profundamente e saber interpretá-los corretamente.

A CAE Treinamentos ensina esses conhecimentos de forma mais aprofundada através de cursos da metodologia Seis Sigma. Que tal iniciar seus estudos com um curso GRATUITO em White Belt Six Sigma?

Quer continuar acompanhando conteúdos interessantes como esse? Acompanhe nosso blog, siga-nos no Facebook, LinkedIn ou assine o nosso canal no Youtube e não perca nenhuma novidade!

Autor

Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista - UNESP - com as certificações Green Belt - 6 Sigma, Aerodinâmica aplicada e Python no currículo, hoje faz parte do time da CAE Treinamentos, ministrando cursos e realizando consultorias na área.