SGA: o que é e para que serve o Sistema de Gestão Ambiental?
(SGA-Sistema de Gestão Ambiental)

economia-verde | Pauly Morillo Campues | Flickr

Toda empresa atualmente deve implementar uma cultura organizacional que respeite e reflita sobre o meio ambiente. Isso porque desde a década de 1970, quando surgiu o conceito de desenvolvimento sustentável, que políticas públicas em torno desse tema vêm adaptando as empresas mundo afora para uma nova realidade. É a partir disso que o conceito de SGA ou Sistema de Gestão Ambiental aparece!

Para quem não sabe, o SGA é uma metodologia ou um conjunto delas para que uma empresa tenha uma relação sustentável e não agrida o meio ambiente através das próprias atividades. 

Nesse plano, existem uma série de políticas internas que, em torno desse conceito apresentado, determinam, por exemplo, quais os fornecedores devo selecionar para a minha empresa ou como ser mais eficiente obtendo menos recursos.

Desse modo, elaboramos este artigo para que você tenha total ciência do que significa de fato o conceito de SGA e como ele impacta no dia a dia das empresas. 

Afinal, ele é uma importante estratégia para que sua companhia seja moderna e que esteja alinhada com as importantes políticas ambientais. Se quiser saber um pouco mais, venha com a gente e tenha uma ótima leitura!

O que é o SGA – Sistema de Gestão Ambiental?

O SGA – Sistema de Gestão Ambiental é um conjunto de metodologias baseadas no conceito de desenvolvimento sustentável. Este conceito foi criado na Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em Estocolmo, em junho de 1972.

Até aquele momento, não havia empresas ou uma sociedade que se preocupasse de forma efetiva com o impacto das relações humanas sobre o meio ambiente. 

Foi a partir da Conferência de Estocolmo que houve uma pressão da sociedade sobre como as empresas deveriam de fato continuar produtivas, porém sem que pudessem agredir ou ao menos estabelecer uma relação desarmoniosa com a natureza.

Para que não ficasse em torno de um conceito de forma abstrata, foram estabelecidas normas internacionais como a ISO 14001, que ajudam as empresas a terem uma gestão ambiental, tendo um alinhamento de acordo com o ideal da sustentabilidade na produção.

Através dessa norma, você entende de forma clara quais os objetivos do SGA e como deve ser implementado na sua empresa. Veja isso nos próximos tópicos!

Objetivos do SGA

Os objetivos do SGA estão relacionados ao desenvolvimento sustentável. Todos eles são super importantes para que empresas possam em geral passar credibilidade e seriedade quando o assunto é preservação do meio ambiente.

Para que esse olhar se concretize, algumas metas devem ser tratadas como cruciais para o desenvolvimento da própria empresa neste caminho. Dessa forma, o Sistema de Gestão Ambiental visa:

  • Reduzir os desperdícios e custos na produção;
  • Maior credibilidade com a sociedade;
  • Ter um melhor relacionamento com órgãos de fiscalização ambiental;
  • Relacionamento mais transparente com o poder público;
  • Controlar todo o processo de produção ou serviço para que estes não tenham influência negativa ao meio ambiente;
  • Alcance de benefícios financeiros e operacionais em torno da aplicação de políticas internas em consonância com o Sistema de Gestão Ambiental;

Todas essas metas são factíveis e somente terão certa aplicabilidade através de um método muito importante, o PDCA, que serve como base para todo o SGA. 

Além disso, para que este sistema seja bem aplicado na sua empresa, precisará adotar, antes, algumas etapas importantes como você verá no tópico a seguir.

SGA x PDCA: Como aplicar o SGA?

O que é PDCA? Conheça uma das melhores ferramentas da qualidade na prática! – YouTube

A base do Sistema de Gestão Ambiental é a da ferramenta PDCA, que é muito conhecida e importante para a melhoria contínua em geral das empresas. Isso porque cada letra com compõe a sigla significa uma ação que um gestor deverá exercer na sua administração.

Dessa forma, o PDCA significa em inglês Plan, Do, Check e Act, que traduzidos, nada mais são do que planejar, fazer, checar e agir. Todos esses passos serão dados um por vez e nessa sequência, tendo o gestor ambiental as seguintes tarefas em cada um deles:

  • Planejar: O Gestor ambiental deverá identificar durante o processo quais as suas fases que estão causando impactos negativos ao meio ambiente, além de estabelecer todos os indicadores ambientais que serão monitorados durante o processo;
  • Fazer: Realizar a implementação de todo o processo de mudança, de acordo com o objetivos propostos pelo sistema;
  • Checar: O gestor deverá monitorar as efetividades da implementação das novas práticas e os resultados propostos pela mudança;
  • Agir: Nesta fase, o gestor deverá atuar de modo corretivo, para que a meta inicial seja atingida. Após a conclusão da meta, há a reaplicação dessa ferramenta;

Em torno dessa base, o Sistema de Gestão Ambiental promoverá cinco etapas importantíssimas para a implementação dele na sua empresa. Veja quais são os cinco princípios do SGA!

  1. Política Ambiental

Nesta fase, a empresa estabelece metas e como elas deverão obedecer à nova política ambiental, através de um documento elaborado pelos seus gestores, mostrando todas as suas intenções, objetivos, além de assegurar todo o comprometimento destes com o Sistema de Gestão Ambiental

  1. Planejamento

Todo o planejamento é guiado pela NBR ISSO 14001, a qual orienta que haja um plano de ação de acordo com o discurso de política ambiental da empresa e que dentro dele tenha uma avaliação geral sobre o impacto que a produção e as atividades organizacionais têm sobre a natureza.

Para avaliar isso de maneira estruturada, quatro tópicos devem estar inclusos, dentre eles, aspectos ambientais, requisitos legais, metas e programas de gestão ambiental.

  1. Implementação e Operação

Nesta etapa, a implementação completa do SGA só será possível através da definição de algumas estruturas importantíssimas para que a norma 14001 esteja em funcionamento na empresa.

Essas ferramentas primordiais para a execução das ações podem ser:

  • Estrutura organizacional e Responsabilidade;
  • Treinamento, Conscientização e Competência;
  • Comunicação;
  • Documentação do Sistema de Gestão Ambiental;
  • Controle de documentos;
  • Controle Operacional;
  • Preparação e atendimento a emergências.
  1. Verificação e Ação Corretiva

Aqui, a análise qualitativa e quantitativa e o monitoramento servirão para verificar se o plano de ação da empresa está de acordo com as ações tomadas por ela. Dessa forma, o gestor visa identificar se há resultados indesejáveis e tão logo eliminá-los de vez.

Todo esse monitoramento é feito através de três etapas importantes, dentre as quais são:

  • Monitoramento e medição;
  • Não conformidade e ações corretivas e preventivas;
  • Registros e Auditoria do SGA;
  1. Análise crítica

A última etapa do Sistema de Gestão Ambiental se dá pela revisão completa do plano de ação, bem como de toda a Política Ambiental adotada pela empresa. Toda essa revisão no planejamento será primordial para que o ciclo de melhoria da organização como um todo não pare por aí.

Benefícios e Importância do SGA

O que é SGA? Por que implantar? – YouTube

Com a aplicação de todas as etapas do Sistema de Gestão Ambiental na sua empresa, agora será preciso avaliar a sua importância, bem como os benefícios para a corporação.

Em primeiro lugar, o SGA é primordial para qualquer empresa que queira se manter moderna e competitiva, pois o dever de cuidar da natureza em que vivemos é cada vez mais uma necessidade, haja vista todas as variações climáticas evidentes e os perigos das extinções de florestas e toda a biodiversidade no globo.

Desse modo, uma empresa ter valores intrínsecos preocupados com as questões ambientais pode ter muitos ganhos financeiros, tais como:

  • Conquista de novos e fiéis consumidores;
  • Redução de custos e de desperdícios maior do que em outras companhias;
  • A obtenção de maior oportunidade em mercados internacionais;
  • O aumento de lucro pela inovação de produtos verdes e com menor concorrência no mercado.
  • Redução dos impactos ambientais.

Gostou do artigo? Então não se esqueça de compartilhar este texto nas suas redes sociais e acesse o nosso blog da CAE para ler mais e ampliar ainda mais os horizontes e ter uma carreira de sucesso!

Autor

Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista - UNESP. Estudou Business and Process Management pela University of Arkansas - EUA, direcionando sua especialização em Lean Seis Sigma. Tornou-se Master Black Belt e hoje está à frente da CAE Treinamentos, ministrando cursos e realizando consultorias na área.

Escreva um Comentário