Kaoru Ishikawa: o grande nome da gestão da qualidade

Você já deve ter ouvido falar em Kaoru Ishikawa, o engenheiro japonês que ficou conhecido como o Pai da Qualidade. Com um vasto legado acadêmico e prático que trouxe diversas ferramentas que são usadas até os dias de hoje, Ishikawa foi responsável por grandes mudanças no pensamento das organizações. Saiba mais sobre a vida deste grande nome da qualidade:

Uma Longa Trajetória de Sucesso

Kaoru Ishikawa teve uma vida longe de ser tranquila: ele finalizou seu doutorado em engenharia química em 1939 pela Universidade de Tóquio e sua produção bibliográfica contou com um total de 647 artigos e 31 livros. Destes, os títulos “Introdução ao Controle de Qualidade” e “O que é Controle de Qualidade Total? O caminho japonês” foram traduzidos para o inglês. 

Ishikawa foi responsável também pelo desenvolvimento e entrega do primeiro curso básico de controle de qualidade para a União de Cientistas e Engenheiros Japoneses (UCEJ) no ano de 1949. Assim, ele recebeu os créditos pela criação do movimento de qualidade japonês, realizado em 1962. 

O engenheiro ficou conhecido como um dos líderes mais dominantes da UCEJ e, para completar, atuou como presidente da Sociedade Japonesa de Controle de Qualidade. Ishikawa não parou por aí: foi cofundador e presidente da Academia Internacional de Qualidade e, após se aposentar, foi nomeado professor emérito da Universidade de Tóquio e membro honorário da Academia Internacional de Qualidade.

Dizer que ele recebeu diversos prêmios causa pouca ou nenhuma surpresa. Em 1972, foi o vencedor do prêmio Eugene L. Grant, e recebeu ainda a medalha A. Shewart em 1988 pelas grandes contribuições para o desenvolvimento da teoria, princípios, técnicas e padronização do controle de qualidade para a indústria mundial.

O Legado de Kaoru Ishikawa 

Não é fácil listar em apenas um artigo todas as contribuições de Ishikawa para a indústria e para a qualidade. Entretanto, há alguns aspectos que se destacam: 

Um Novo Pensamento

As contribuições de Kaoru Ishikawa estão relacionadas basicamente à prática e aos esforços para que as ações fossem o foco das atenções. Entretanto, não é possível falar do legado deste engenheiro sem mencionar a disseminação da Filosofia da Qualidade, também conhecida como “Cultura da Qualidade”. 

Ele próprio buscou difundir o que ele chamava de “Revolução do Pensamento”, um conjunto de ideias que, ao serem implantadas, poderiam revitalizar a indústria. Vale lembrar que, antes dele, a Qualidade japonesa era resumida na aplicação de técnicas norte-americanas – e pode não parecer, mas era um grande progresso ao considerar a situação do país após o fim da Segunda Guerra Mundial. 

Porém, foi com a nova Cultura da Qualidade que o Japão alcançou patamares de qualidade que podiam ser considerados superiores até mesmo aos dos Estados Unidos. Assim, o país passou a disputar o mercado internacional no mesmo nível de seus concorrentes. 

Na posição de presidente do comitê japonês da Conferência Nacional de Controle de Qualidade, Ishikawa dedicou todos os seus esforços para conscientizar as pessoas e empresas a respeito da importância da qualidade para o desenvolvimento da economia. Assim, diversos estudiosos apontam que uma das maiores contribuições de Ishikawa foi seu papel crucial no desenvolvimento da qualidade no Japão.

Diagrama de Ishikawa

Conhecida como uma das ferramentas mais populares da qualidade, o Diagrama de Ishikawa também é chamado de “Diagrama de Causa e Efeito” e até mesmo “Diagrama Espinha de Peixe”. 

Esta é uma das maiores contribuições de Ishikawa, que trouxe grande impacto em função do fato de que a ferramenta foi criada para que toda pessoa pudesse usá-la. Ou seja, ao eliminar a necessidade de especialistas, colaboradores que vão desde à operação na fábrica até diretoria podem aplicá-la. 

Ferramentas da Qualidade: do Japão para o mundo

É verdade que as ferramentas de qualidade já eram populares antes dos feitos de Ishikawa. Entretanto, ele juntou aquelas que melhor funcionam em empresas de várias áreas diferentes e, assim, criou um conjunto de ferramentas que poderia solucionar até 95% dos problemas presentes nas organizações. Ah, este número foi definido por ele próprio! 

Com base no mesmo princípio que norteou a criação do Diagrama Espinha de Peixe, Ishikawa se preocupou em reunir ferramentas que pudessem ser utilizadas por qualquer colaborador, direcionando o foco na aplicação prática dos métodos e nos resultados. Este conjunto de técnicas reunidas ficou conhecido como “As 7 Ferramentas da Qualidade”, e é utilizado por diversas empresas em todo o mundo até os dias de hoje. 

São elas:

  1. Gráfico de Pareto
  2. Diagramas Espinha de Peixe
  3. Histogramas
  4. Folhas de verificação
  5. Gráficos de dispersão
  6. Fluxogramas
  7. Cartas de Controle

Por mais úteis que sejam, é essencial lembrar que estas ferramentas irão funcionar de forma adequadas somente com uma boa compreensão dos problemas presentes no sistema. Além disso, é preciso também que surja uma cultura de uso da ferramenta escolhida e, claro, que esta seja a mais adequada para o trabalho.

De Ishikawa para a Qualidade

Podemos dizer que a contribuição mais famosa de Kaoru Ishikawa para as empresas foi o Diagrama de Ishikawa. Simples de criar e utilizar, a ferramenta auxilia as organizações na hora de encontrar a causa principal de um problema. Não é para menos que seu criador ficou tão popular, certo?

Além de toda a funcionalidade, uma das características mais marcantes do Diagrama Espinha de Peixe é a provocação feita ao gestor, que se vê colocado diante de uma análise crítica e eficiente do seu negócio. É comum que os resultados obtidos com o Diagrama não sejam aqueles sonhados, mas o problema aparece quando o líder simplesmente se conforma, sem buscar entender o motivo do quadro atual.

 Siga e desenvolva seus estudos sobre o Diagrama de Ishikawa e outras ferramentas com as leituras abaixo:

Como fazer um Diagrama de Ishikawa: aprenda como aplicar a seus processos

Como usar o PDCA e Diagrama Espinha de Peixe?

Gurus da Qualidade Total: conheça 8 grandes nomes e aprenda com eles

Não se esqueça de se inscrever em nosso canal do YouTube, curtir nossa página do Facebook e acompanhar as publicações do nosso blog!

Autor

Jornalista e social media formada pela Unesp.

Escreva um Comentário