O que são riscos operacionais e possíveis alternativas para evitá-los

Todos que trabalham dentro de uma empresa tem a obrigação de saber o que são riscos operacionais. Afinal, eles são os grandes responsáveis pela maioria dos erros e falhas que acontecem dentro de uma linha de produção. Sendo assim, é uma tarefa não apenas da gestão, mas de todos os colaboradores, conhecê-los e identificá-los.

Sabendo disso e da importância de uma gestão de alta qualidade, separamos aqui tudo sobre o que são riscos operacionais. Dessa forma, vai ficar muito mais fácil trabalhar para evitá-los e assim atingir o sucesso na organização. Acompanhe abaixo!

O que são riscos operacionais

Em linhas gerais, podem ser definidos como riscos operacionais todos os tipos de falhas dentro de uma organização, as quais possam gerar algum tipo de dano. Essa perda nem sempre é monetária, muitas vezes se torna também prejuízo no investimento de tempo ou tarefas incompletas.

Ou seja, quando falamos sobre o que são riscos operacionais, não tratamos apenas sobre falhas humanas. Erros de sistema, defeitos na tecnologia utilizada ou na organização da linha de produção também se encaixam dentro do tema. 

Depois de entender o que são riscos operacionais, vamos conhecer um pouco mais sobre eles, já que possuem três subdivisões

Falhas

Nas falhas, ocorrem erros corriqueiros, que não fazem parte da rotina de trabalho. Por exemplo, um esquecimento humano, desatenção ou um defeito em alguma máquina.

Nesses casos, a resolução costuma ser bem simples e rápida.

Deficiências

As deficiências, por sua vez, são casos mais sérios. Elas tratam da ausência de itens imprescindíveis para o bom andamento dos processos na empresa. Podem ser, por exemplo, a falta de um departamento para organizar os processos produtivos, de um colaborador a mais na linha de produção ou de uma máquina para executar determinada função.

Inadequações

As inadequações são os casos nos quais os riscos acontecem de maneira profunda. Na maioria das vezes, eles já estão vigentes há anos, atrapalhando a produção, porém sem nenhuma solução implementada.

São os casos de, por exemplo, colaboradores fazendo funções para as quais não estão preparados, máquinas muito antigas ou líderes sem a capacitação adequada.

As categorias de riscos operacionais

Entender o que são riscos operacionais é fundamental para ter uma resolução de falhas efetiva dentro da empresa.

Sendo assim, para que a sugestão de soluções seja mais eficaz, separamos os riscos operacionais em 3 importantes categorias:

Riscos organizacionais

Chamamos de riscos organizacionais aqueles problemas que, literalmente, advém da falta de organização da empresa.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Sebrae, uma em cada quatro empresas fecham as portas antes de completar 2 anos de atuação. Na maioria das vezes isso ocorre pela falta de estrutura e de um plano empresarial. 

Dessa forma, a organização se perde, tanto na linha de produção quanto na administração de investimento e lucros.

Os riscos organizacionais se tornam muito mais frequentes quando a equipe de gestão não está bem preparada. Com isso, a empresa não segue uma linha uniforme e padrão na entrega dos seus serviços, o que a deixa sem credibilidade e respeito dentro do mercado.

Riscos de operação

Riscos de operação são aqueles que acontecem na metodologia da criação de um produto. Por exemplo, quando uma máquina está apresentando instabilidade, ela representa um risco de operação. Afinal, caso ela quebre, toda a linha de produção terá que ficar parada.

Esses costumam ser os riscos mais fáceis de serem identificados e solucionados. No entanto, é necessário estar sempre atento para que o reparo ocorra em tempo hábil.

Riscos de pessoal

Mesmo com o crescimento constante da tecnologia e implementação das máquinas, o trabalho humano continua sendo indispensável. No entanto, para que ele cumpra com suas funções, deve ser treinado de maneira séria e correta.

Os riscos de pessoal envolvem as falhas que acontecem por desatenção ou incapacitação humana. Geralmente, são os mais presentes no dia a dia dos gestores e líderes de equipe. Sendo assim, a capacitação dos colaboradores é sempre o melhor caminho para evitá-los.

Formas de evitar os riscos operacionais

Para que os riscos operacionais sejam evitados, não são poucas as ferramentas que estão a disposição. Além disso, técnicas de liderança também são sempre úteis para integrar a equipe. Acompanhe algumas dicas sobre como proceder.

Integre toda a equipe na gestão da qualidade

A gestão da qualidade é a principal responsável para evitar as falhas operacionais. É através dela que ocorre a identificação dos erros, bem como a análise da situação e levantamento de possíveis soluções.

Sendo assim, quanto mais a equipe da organização estiver integrada e ciente dessa importância, mais fácil será o processo. Dessa forma, a responsabilidade sai das mãos apenas dos líderes e passa a ser de cada um dos colaboradores.

Esses, por sua vez, passam a enxergar sua respectiva importância dentro do sucesso da equipe. Com isso, a equidade na empresa surge de maneira rápida, simples e tranquila, com cada colaborador ciente do quanto é fundamental no resultado final do produto.

Ferramentas de qualidade

Caso você já tenha estudado previamente sobre o que são riscos operacionais, com toda a certeza já ouviu falar das ferramentas de gestão da qualidade. Atualmente, várias delas são aplicadas em todos os setores da empresa e tem feito grande diferença na entrega final.

Alguns exemplos são o ciclo PDCA, a análise FMEA e os 5S. Sendo assim, procure conhecer sobre cada uma delas individualmente para entender qual se adapta melhor a produção da sua organização.

Depois entender o que são riscos operacionais, fica fácil perceber a importância de sua identificação dentro da linha de produção. Sendo assim, acompanhe nosso blog para saber mais sobre o tema e quais são as suas soluções!

Autor

Sou graduado em Jornalismo pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), pós-graduação em Jornalismo Esportivo pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), especialização em revisão pela Unicamp, além de cursos de revisão e otimização de textos pela Rock Content.

Escreva um Comentário